3/23/2006

.... a quinta aula ...

Chegou mais uma segunda-feira e com ela mais uma aula de Projectos Curriculares, ihihihih....

É verdade! Mais uma simpática aula de Projectos Curriculares! Mais uma aula para aprender, aprofundar e explorar novas oportunidades de aprendizagem. Esta aula foi dedicada aos temas portfólio e competências.

Para explorarmos o tema portfólio corrigimos o questionário que a docente nos propôs na segunda aula. Assim, cada aluna respondeu à pergunta que lhe pertencia. Eu falei sobre os tipos de portfólio e o que estes contêm. Não irei aprofundar este tema neste blog, uma vez que elaborarei um site (portfólio on-line) onde gostaria de incluir este tema.
No entanto aqui fica um pequeno resumo:

O portfólio é um conjunto de trabalhos elaborados onde a sua organização não obedece a regras explícitas, visto que é a sua produção que caracteriza o sucesso e a procura de melhores formas de apresentar um trabalho deve ser uma tarefa pessoal e diferente de caso para caso. No entanto, podemos identificar vertentes orientadoras de uma análise e avaliação de um portfólio, tais como, a originalidade, a criatividade e a qualidade.

Mas, se estiver, realmente, interessado neste tema consulte um destes sites:


Penso que foi uma boa opção da docente não aprofundarmos demasiado o tema acerca do portfólio uma vez que já o fizemos em outras cadeiras. No entanto, foi importante relembrar estes conceitos pois iremos elaborar um portfólio on-line. Foi, também, importante definir os tópicos comuns a desenvolver por todas as alunas nesse mesmo portfólio.
Em relação ao mesmo apenas gostaria de realçar que será um trabalho muito cansativo, mas bastante recompensador. Aliás, penso que é uma óptima estratégia de aprendizagem.

Para além do portfólio, falámos, ainda, acerca das competências. Para tal, lemos o texto “Key competences in the knowledge based society- a framework of eight key competences”. Inicialmente, quando soube que este texto estava escrito em inglês fiquei bastante assustada, afinal o inglês não é a língua estrangeira que eu domino perfeitamente. Mas, apesar dos meus medos e do obstáculo linguístico, percebi perfeitamente o texto e consegui distinguir competências de competências chave.

Tal como diz Raquel Maio, uma colega "curriculista", “competência é o uso do conhecimento numa determinada situação/problema, transferência, mobilização de conhecimentos/atitudes/
procedimentos para uma situação concreta. Demonstra-se quando se é capaz de lidar com situações imprevisíveis. A competência é vista como um saber-fazer, como um saber agir face a uma determinada situação, ligada à função” e “competências chave são as competências sem as quais não se sobrevive”.
Ao pesquisar sobre este tema encontrei alguns sites interessantes nomeadamente:

Tal como as aulas anteriores, esta foi uma aula muito importante para mim. Tive algumas dificuldades na leitura do texto relacionado com as competências, mas esta dificuldade foi ultrapassada com alguma facilidade. Portanto, faço uma avaliação muito positiva desta quinta aula.
Por hoje é tudo até para a semana... E o que será que acontecerá para a semana que vem???

Veremos...

.... a quarta aula ...

Aqui estou eu novamente pronta para partilhar
as minhas reflexões...


A quarta aula, tal como a aula anterior, foi muito importante para mim. Isto porque esclarecemos as dúvidas, acerca dos objectivos e competências, da forma como planificar e, por fim, dos tipos de avaliação, que ainda persistiam.

Na realidade, eu tinha dúvidas em relação aos diversos tópicos mencionados e esta aula permitiu-me esclarecer todas. Penso que este tipo de aulas são muito importantes para nós alunas, uma vez que nos permite esclarecer lacunas existentes que por vezes nos impedem de evoluir e, mais grave, nos induzem a cometer erros graves (como os que eu cometo frequentemente).

Em relação aos objectivos tinha imensas dificuldades em perceber quais os do professor, quais os do aluno, quando os utilizo e, fundamentalmente, como escreve-los correctamente. Com esta aula apercebi-me de como estava errada em alguns aspectos e como estava certa noutros. No entanto, penso que seria extremamente importante fazermos um exercício prático sobre este importante elemento do currículo, como por exemplo: perante um determinado tema e um determinado modelo construir objectivos adequados ou verificar se os objectivos utilizados estão correctos, se não o estão o que modificar, exercícios deste género para consolidar os conhecimentos.
Tal como nos diz Rocha (1993, pp. 6), “a melhor maneira de identificar e satisfazer necessidades humanas é através da aplicação racional do conhecimento comprovado”.
A explicação sobre os modos de planificar e os tipos de avaliação também me ajudaram bastante a compreender e a distinguir o que devo e o que não devo fazer perante a elaboração de um projecto.

Por fim, acabámos a análise do projecto, enunciando sugestões de alteração ao projecto estudado. Algumas destas alterações passam pelo modelo a utilizar, a planificação, o tipo de actividades a utilizar, o rigor a nível da linguagem e, também, as técnicas de avaliação.

Na verdade, toda a aula foi, muito, mas muito, importante para mim. Agora só espero poder colocar em prática todos estes conhecimentos que adquiri e, claro, não me enganar!
Penso que esta aula foi indispensável no meu percurso como aluna. Aliás, não quero exagerar, mas penso que a posso caracterizar como
FULCRAL.

Por agora é tudo, voltarei novamente com boas notícias quanto às minhas aprendizagens, às minhas dificuldades, à forma como as ultrapasso, enfim, tudo aquilo que me permite evoluir.

3/17/2006

.... a terceira aula ...

Aqui estou eu novamente! Hoje não irei falar de histórias mas sim da terceira aula de Projectos Curriculares. Começarei a reflectir, apenas, a partir da terceira aula uma vez que não estive presente nas duas anteriores. No entanto, é preciso referir, que falei com as minhas colegas e elas, atenciosamente, explicaram-me tudo o que fizeram nas mesmas. Uma prova disso prende-se com o facto de eu me ter inscrito no site da cadeira (que aproveito desde para dizer que este será um instrumento essencial na realização e concretização dos nossos objectivos) e, ainda, por ter realizado o trabalho de casa sobre o portfólio.

Quanto a esta aula, uma vez que é ela o ponto fulcral deste meu post, apenas a posso descrever e caracterizar como excelente! Adorei a aula. Continuo a pensar o mesmo que no semestre anterior: a professora utiliza práticas de sala de aula bastante relevantes e importantes para mim enquanto aluna. A análise de um projecto, onde verificámos quais os erros inerentes ao mesmo, segundo a instrução proferida pela docente, tornou-se um trabalho bastante moroso, mas também, e segundo a minha opinião, mais importante, bastante produtivo e esclarecedor.
A partir dessa análise relembrámos os aspectos essenciais durante a elaboração de um projecto, sendo eles os seguintes:

  • o projecto é centrado no aluno; os alunos têm de sentir o projecto como seu;
  • o conhecimento está em permanente construção. Em relação a este tópico apenas gostaria de relembrar um filme que visualizámos na cadeira de Modelos de Organização Curricular sobre o projecto de uma disciplina de inglês numa escola alemã. Neste projecto os conhecimentos dos alunos, que frequentavam o 6º ano de escolaridade, formam muito notórios. Na realidade à medida que o projecto se desenvolvia e os alunos se tornavam mais autónomos a sua pronúncia e a sua escrita do inglês melhoram significativamente;
  • é constituído por fases. Onde existe, inicialmente, uma intenção, de seguida a acção e, por fim, o produto. Boutinet é um autor que nos chama a atenção para algumas das fases a saber para a realização de um projecto viável;
  • o projecto decorre ao longo do tempo;
  • a avaliação tem um papel regulador/formativo ao longo do projecto.

Depois da análise de um projecto, e de modo a nós, alunas, percebermos como se produz um projecto exequível, seria muito pertinente que construíssemos um. Sei que este será um dos objectivos da cadeira de Projectos Curriculares e, desde já, fico à espera dessa aula, uma vez que a minha maior dúvida prende-se na forma de redigir um projecto com êxito.

Bom, como apenas irei retratar neste blog as minhas reflexões onde irei dar um maior relevo às minhas aprendizagens, às minhas dificuldades, aos meus interesses e a outros acontecimento que sinto necessidade de expressar, findo este post com o desejo das aulas continuarem a ser agradáveis e interessantes. Mas, e sobretudo, desejo conseguir alcançar todos os objectivos que tracei para esta cadeira…


Despeço-me com um breve momento de reflexão:



“- Podes falar-nos do mar? - Sei que é grande e profundo, mas não vos quero enganar. Sei de peixes que já desceram ao fundo do mar. Quando os ouvi falar percebi que não conheço o mar. Perguntem-lhes a eles, que vos saberão falar do mar. Eu nunca desci muito fundo (...) apenas vos sei falar bem da superfície do mar... (...) - porque não voltaste lá ao fundo? Por preguiça? - Às vezes acho que é preguiça, outras vezes acho que é medo. - Medo? (...) Medo de quê? - Medo do desconhecido, medo de me perder. Aqui à superfície já estou habituado. Adquiri um certo estatuto para mim mesmo. Controlo as coisas ou, pelo menos, tenho a sensação de as controlar. Lá em baixo não sei bem o que me pode acontecer. Estou todo nas mãos do mar.
(...) - E que dizem os outros, os que lá estiveram? - Dizem coisas que eu não entendo. Dizem que é preciso ir para perceber. E dizem que nada há de mais importante na vida de um peixe. - E explicam como se vai? - Aí é que está. Explicam que não se chega lá por esforço, que só podemos fazer esforço em deixar-nos ir. Que é só o mar que nos leva ao mar. Então veio uma corrente mais forte que o fazia descer. O peixe tentou lutar contra ela com quantas força tinha, à medida que via distanciarem-se as coisas da superfície. Talvez para sempre... mas depois fechou os olhos, confiou e já sem medo, deixou-se ir.”

3/16/2006

*Projecto Curriculares*

Tal como referi na minha reflexão final à cadeira de Modelos de Organização Curricular a área de currículo foi uma das que mais me surpreendeu ao longo da licenciatura! Na realidade, este facto deve-se ao balanço extremamente positivo das minhas aprendizagens na mesma. Afinal, a área que eu menos gostava e aquela em que eu pensava:"currículo, nem pensar! Não percebo nada daquilo!" foi aquela que mais interesse me despertou, sendo, portanto, a minha escolha para a pré-especialização. Incrivel, mas é a realidade. Agora espero, sinceramente, que a cadeira de Projectos Curriculares continue a surpreender-me pela positiva (tal como aconteceu com a de Modelos de Organização Curricular)!!!

Penso que actualmente tenho um novo desafio: descobrir e explorar, mais minuciosamente, todo o leque curricular. Assim, ao longo deste semestre, espero efectivamente, adquirir novos conhecimentos e pôr em prática alguns já adquiridos anteriormente, assim como aprender novas práticas que me ajudarão como futura licenciada em Ciências da Educação.

.... O rasto das minhas aprendizagens .... será a forma de eu expressar todas as minhas aprendizagens, reflexões, considerações e todos os aspectos importantes para o meu percurso como aluna e como futura licenciada.

O meu rasto (de migalhas) será tudo isto...

A história de Hansel e Gretel

Devem estar-se a perguntar: não era suposto ela estar a falar de currículo?Então porque está para aqui a contar histórias???? Realmente têm toda a razão. Na realidade esta é a história que eu escolhi para me ajudar nesta nova caminhada... Não vos contarei tudo, pois fico à espera que me digam porque razão eu escolhi esta história para personificar o meu novo e aliciante desafio - a cadeira de Projectos Curriculares.
Conto convosco!


No entanto, e para aguçar a vossa curiosidade aqui fica uma pista: Hansel e Gretel deixaram um rasto de migalhas para chegarem a casa...


O que será para mim o rasto de migalhas ou a casa???Enfim, não há nada melhor que brincar com a nossa imaginação para encontramos o nosso verdadeiro caminho.


Aqui estão eles...

Hansel e Gretel.